terça-feira, 7 de junho de 2011

Rádio, outra volta por cima

Ao longo da sua história, o rádio tem vencido inúmeras batalhas. Interessante notar que todas elas, apoiadas pela tecnologia. Sim, o próprio surgimento do rádio foi um avanço tecnológico.
O rádio reinou por um longo período a chegada da televisão, que levou os programas, os artistas, os anunciantes e a audiência do rádio. E, pela primeira vez, a morte do rádio foi anunciada aos quatro cantos. Como concorrer com a imagem?
Foi então, que mais uma vez um o desenvolvimento tecnológico salvou o rádio de desaparecer. A criação do transistor tirou o rádio da tomada da sala e possibilitou a sua mobilidade. A partir daí, o rádio passou a acompanhar o ouvinte onde quer que ele fosse, tornando-se um companheiro inseparável.
Passados alguns anos, outra novidade tecnológica voltou a ameaçar o rádio e novamente a sua morte foi anunciada. Dessa vez, a vilã foi a internet. Entretanto, o rádio rapidamente transformou a ameaça em oportunidade e, ao invés de encarar a internet como concorrente, lançou mão das novas ferramentas para ampliar o seu poder de alcance e aumentar a sua interatividade com o ouvinte.
Assim , mais uma vez a tecnologia favoreceu o rádio proporcionando a sua audição em qualquer lugar do mundo e por diversas plataformas de distribuição de conteúdo. Até mesmo a imagem, já faz parte do cotidiano do rádio que pouco a pouco vem se convertendo num meio também visual.
Muitas emissoras de rádio disponibilizam um conteúdo diversificado nos seus sites como vídeos de programas, clipes musicais e de ações promocionais, entrevistas com artistas, cobertura de fatos e jogos de futebol, além de espaço especial para interação direta com o ouvinte que pode enviar mensagens e pedidos musicais, participar de enquetes, fazer downloads ou sugerir pautas. Muitas possuem até mesmo, espaço publicitário. Sim, além de utilizar a web para propagar seu conteúdo e interagir com o ouvinte, o rádio também vem buscando ampliar o seu faturamento via web
A cada dia o rádio adquire mais características de um meio também visual. Uma contradição? Não. Uma estratégia de sobrevivência que pode conduzir à revitalização do rádio.

Fonte: http://www.culturaemercado.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário