quarta-feira, 20 de julho de 2011

A ARTE DA COLAGEM - CULTURA E CRIAÇÃO

De 19/07 a 01/08/11
Local: CENTRO DE CULTURA JORNALISTA FRANCISCO FRANTZ
Rua Ernesto Alves, Santa Cruz do Sul








quinta-feira, 14 de julho de 2011

A ARTE DA COLAGEM - CULTURA E CRIAÇÃO

De 19/07 a 01/08/11
Local:  CENTRO DE CULTURA JORNALISTA FRANCISCO FRANTZ
Rua Ernesto Alves, Santa Cruz do Sul


MINHA HISTÓRIA DA ARTE

Entre duas paixões...

Formada em Publicidade e Propaganda e Relações Públicas, tem no currículo diversos pós, cursos de qualificação, palestras, e, Mestrado em Desenvolvimento Regional. Mara Eliza Garske, natural de Sobradinho, RS, destacava-se nas artes e no estilismo e foi por elas que seguiu rumo a Porto Alegre e depois para São Paulo. Porém lá em São Paulo iniciou carreira na área da comunicação, supostamente mais segura, mas não tirou as artes de sua alma. Durante muito tempo dedicou-se apenas a comunicação, mas sempre linkando seus estudos e pesquisas com o tema Artes e Cultura. Autodidata, realizou cursos e leituras para conhecer mais, já que não foi possível cursar a faculdade de Artes Plásticas, seu primeiro vestibular, em 1984. Em 2010, plenamente realizada na comunicação e (re)desenhando seus projetos de vida, retoma as Artes, seja reativando seu ateliê, realizando novos cursos, participando e realizando exposições e eventos, afinal....

A arte, perdida num caos de idéias, deve recuperar o sentido que leva em sua essência, dar a mensagem que penetre até o mais profundo do ser para identificar-se com o universo.
El LibroBlanco, p 11

Re(viva) a história - Visite o memorial do Trem

      No dia 19 de junho, no Centro de Cultura jornalista Francisco José Frantz, ocorre o lançamento do Memorial do Trem, acompanhado de apresentações culturais, homenagens e uma exposição da artista Mara Garske. Rua Ernesto Alves, prox Fórum, Santa Cruz do Sul.




Sobre o Memorial do Trem.....

     Em 2011 o Centro de Cultura Jornalista Francisco Frantz completa 106 anos de existência, mais precisamente no dia 19 de novembro, quando da inauguração da Estação Ferroviária de Santa Cruz, ligando por trilhos de trem, o Município à Estação de Couto (depois Ramiz Galvão). A maior da parte da história deste prédio, com seu entorno, está ligada ao transporte ferroviário, depois celebrando nas suas entranhas a história patrimonial, cultural e social do povo desta terra. Por outro lado, o Centro de Cultura não possuía um único espaço, foto ou elemento visual que remetesse à história do trem, surgindo a necessidade de se fazer um Memorial do Trem.
   O Memorial do Trem é um espaço criado dentro do Centro de Cultura e que traz uma réplica de um dos trens que percorreram os trilhos da Estação Ferroviária de Santa Cruz, fotos históricas da inauguração, máquinas e episódios ligados ao período em que a estação esteve em uso, réplicas do maquinista e do Centro de Cultura, etc., enfim, um acervo documental e material que torna visível que aquele espaço um dia foi uma Estação Ferroviária (trilhos, dependências para guardar bagagens, para entregar/comprar bilhetes de passagens, etc.).
   O Memorial do Trem é um recorte histórico de uma Santa Cruz que fez parte da rede ferroviária do Estado do Rio Grande do Sul, tornando possível, de modo especial aos que não viveram este período, uma melhor e qualificada compreensão dos fatos e épocas que nos fizeram o que somos.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Amai-vos uns aos outros

Dia 28 de junho de 2011 será marcado para sempre como o dia oficial do primeiro casamento civil homossexual do Brasil. O Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais de Jacareí (SP) consumará o matrimônio entre Luiz André de Rezende Moresi e José Sérgio Santos de Sousa, que vivem juntos há oito anos e terão a união estável convertida em casamento.
Com o casamento civil, os cônjuges passarão a ter respaldo jurídico para o reconhecimento do direito à sucessão, presunção legal de esforço comum no patrimônio constituído e acesso aos direitos sociais, como a pensão previdenciária por morte.
A realização do casamento foi possível mediante decisão do Juiz da 2ª Vara da Família e das Sucessões de Jacareí, Fernando Henrique Pinto. O Ministério Público deu um parecer favorável ao casamento, baseado decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de maio que equiparou a união estável homossexual à heterossexual e na igualdade de direitos entre as pessoas.
Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu no dia 5 de maio de 2011 pelo reconhecimento de união estável entre pessoas do mesmo sexo. Todos os dez ministros aptos a votar foram favoráveis a estender a parceiros homossexuais direitos hoje previstos a casais heterossexuais – o ministro Dias Toffoli se declarou impedido de participar porque atuou como advogado-geral da União no caso e deu, no passado, parecer sobre o processo.
Com o julgamento, os magistrados abriram espaço para o direito a gays em união estável de terem acesso a herança e pensões alimentícia ou por morte, além do aval de tornarem-se dependentes em planos de saúde e de previdência. Após a decisão, os cartórios não deverão se recusar, por exemplo, a registrar um contrato de união estável homoafetiva, sob pena de serem acionados judicialmente. Itens como casamentos civis entre gays ou o direito de registro de ambos os parceiros no documento de adoção de uma criança, porém, não foram atestados pelo plenário.
A notícia vem acompanhada do estrondoso sucesso da 15ª edição da Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), realizada neste domingo (26) em São Paulo, que levou cerca de 4 milhões de pessoas para a avenida Paulista, segundo estimativas da organização. A maior parada gay do mundo teve como tema “Amai-vos uns aos outros: basta de homofobia”.
As paradas passaram a ser reconhecidas como ação cultural pelo Ministério da Cultura durante o governo Lula, por empenho político pessoal de Sergio Mamberti, que merece ser lembrado por sua atuação à frente da Secretaria de Identidade e Diversidade Cultural, recentemente fundida com a secretaria de Cidadania Cultural.
A partir do dia 28 de junho de 2011 o Brasil será um pouco menos desigual.
* Com informações do portal Terra e do jornal Folha de S.Paulo.
Por: Leonardo Brant http://www.brant.com.br

#Criativem

Empreendedores Criativos é um reality show colaborativo. O olhar não é o da câmera escondida, os flagrantes não são no chuveiro. Pensamos, planejamos e produzimos um show da vida inteligente, feito por gente que cria e transforma o mundo em algo melhor, menos competitivo e voraz. Ou melhor, preparamos um reality show para pessoas inteligentes e criativas produzirem. Este é um convite à sua participação.
Empreendedores Criativos é também uma rede. Não estamos falando de uma nova tecnologia criada para entreter, conectar, gerar fluxo de informação e visibilidade. Estamos falando de juntar gente que empreende e cria; e que faz com mais gente empreenda e crie. Queremos conhecer pessoas, lugares e redes que fazem como nós, da Casa da Convergência. Somos profissionais criativos que trabalham em rede e desenvolvem ações dialógicas, conectadas. E sairemos à procura de outras ações, em outras áreas e com outros interesses e estratégias mas que sempre tenham a criatividade e a conectividade em comum.
Empreendedores Criativos é um programa de formação. Vamos disponibilizar o conhecimento acumulado em décadas dedicadas à gestão e ao mercado cultural à sua ideia ou empreendimento. Convidamos grandes nomes da Economia Criativa para nos ajudar nesse grande desafio. Em troca, estamos interessados no conhecimento acumulado pelos membros dessa rede que começa a se formar agora. Vamos expor as nossas fragilidades, buscando supri-las nos vários nós dessa imensa teia cultural. E seremos os nós que sustentarão os pontos frágeis da nossa rede. Uma espiral rizomática conectada.
Para participar do programa basta preencher um questionário na páginawww.empreendedorescriativos.com.br. A partir dali, sua apropriação da rede se consolida. Vamos nos identificar com a hashtag #criativem, um convite para que os membros da sua rede também passem a conjugar o verbo “criativar”. O compromisso é recíproco e coletivo, mas vamos destacar 7 empreendedores, detentores de ideias ou negócios inovadores que, juntos, sintetizem os anseios e necessidades de todos nós.
Venho utilizar este nobre espaço de discussão de políticas culturais para convidar todas as pessoas e redes a fazer parte desse rico processo que se inicia. #criativem!

Sua empresa aproveita o movimento sazonal para vender mais os seus produtos?


Somente para o período de junho e julho, a comercialização de rótulos finos feita pelas vinícolas nacionais, no mercado interno, cresceu 25% em comparação com os mesmos meses do ano passado, conforme levantamento feito, informa Júlio Fante, presidente do Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho). De janeiro a maio, as vendas tiveram alta de apenas 2,7%, em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados mostram que os dias e noites gelados nas últimas duas semanas no Sul e no Sudeste do País estão revigorando os ânimos dos consumidores por vinho.

Como a maior parte da demanda do setor se concentra no segundo semestre e só os três meses de inverno respondem por 30% a 35% do movimento anual, Fante acredita que as vendas acumuladas de 2011 serão de 10% a 15% superiores aos 18,2 milhões de litros do ano passado.Nos cinco primeiros meses do ano, os vinhos finos nacionais corresponderam a 24,7% do mercado total, praticamente estável em comparação com os 24,3% de 2010, segundo o Ibravin. Os importados seguem com três quartos do bolo, auxiliados pelo dólar barato.


Jony Lan
Especialista em estratégia, marketing e novos negócios
jonylan@mktmais.com

Fonte: Valor Econômico

Sua empresa aproveita o movimento sazonal para vender mais os seus produtos?


Somente para o período de junho e julho, a comercialização de rótulos finos feita pelas vinícolas nacionais, no mercado interno, cresceu 25% em comparação com os mesmos meses do ano passado, conforme levantamento feito, informa Júlio Fante, presidente do Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho). De janeiro a maio, as vendas tiveram alta de apenas 2,7%, em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados mostram que os dias e noites gelados nas últimas duas semanas no Sul e no Sudeste do País estão revigorando os ânimos dos consumidores por vinho.

Como a maior parte da demanda do setor se concentra no segundo semestre e só os três meses de inverno respondem por 30% a 35% do movimento anual, Fante acredita que as vendas acumuladas de 2011 serão de 10% a 15% superiores aos 18,2 milhões de litros do ano passado.Nos cinco primeiros meses do ano, os vinhos finos nacionais corresponderam a 24,7% do mercado total, praticamente estável em comparação com os 24,3% de 2010, segundo o Ibravin. Os importados seguem com três quartos do bolo, auxiliados pelo dólar barato.


Jony Lan
Especialista em estratégia, marketing e novos negócios
jonylan@mktmais.com

Fonte: Valor Econômico