segunda-feira, 22 de abril de 2013

Qual é a primeira impressão que os outros têm de você?

Há controvérsias, como tudo na vida, mas uma coisa é certa: a primeira imagem que você transmite, profissionalmente falando, tem muito impacto

Quantas vezes já não ouvimos a célebre frase "a primeira impressão é a que fica"? Há controvérsias, como tudo na vida, mas uma coisa é certa: a primeira imagem que você transmite, profissionalmente falando, tem muito impacto.

funcionario-novo-350Até aí, nada de novo, espero. No entanto, é importante saber o que realmente conta na hora de uma pessoa formar uma opinião sobre outra. Algumas vezes, demora apenas dois ou três segundos para que o outro crie uma imagem sua. Isso depende, principalmente, da geração do indivíduo. Profissionais da minha geração tendem a demorar um pouco mais para formar uma primeira impressão de alguém. Já os jovens, como sempre, são mais rápidos e criam esta imagem em relação ao outro em questão de segundos.

Nesses minutos ou segundos, o que realmente importa? Em primeiro lugar, a sua aparência. Numa entrevista de emprego ou evento profissional, o mínimo que se espera é roupa adequada, cabelo arrumado e leve maquiagem nas mulheres. É claro que "adequado" varia de pessoa para pessoa, o que complica as coisas. Para os homens é fácil: terno e gravata normalmente não têm erro. Já as mulheres, por terem mais opções, devem cuidar para não serem muito chamativas ou vulgares. O que deve "aparecer" é o seu conteúdo, e não as curvas do seu corpo.

Além da aparência, o tom de voz, aperto de mão e linguagem corporal também contam pontos. Um profissional que se apresenta com um aperto de mão fraco, quase "mole", sem olhar nos olhos daquele que cumprimenta e com tom de voz inseguro muito dificilmente passará uma imagem marcante ou confiante de si. Infelizmente é assim. Não é para esmagar a mão do outro e mostrar mais intimidade do que deveria. Apenas o suficiente para que a outra pessoa se lembre de você. Afinal, é isso o que importa no meio corporativo.

Ao conhecer alguém, lembre-se de olhar nos olhos e sorrir. Seja simpático, sem ser invasivo. Se irá visitar o presidente de uma empresa, por exemplo, procure se informar um pouco sobre o mesmo. Se ele for muito formal e conservador, você já saberá que cumprimentá-lo com um aperto de mão e vestir-se sem muitas "modernidades" será mais seguro. No entanto, se for visitar um cliente mais despojado, com uma empresa mais informal, uma imagem muito recatada e conservadora pode passar a imagem de um profissional ultrapassado.

É complicado e até fútil, mas é assim que funciona. Não estou dizendo para que você deixe de ser você, apenas que saiba adaptar-se às mais diversas situações, pois no mundo de trabalho é preciso saber quando é o momento de dar um abraço e quando é o momento de apertar a mão.

Tudo isso que foi mencionado neste artigo é sobre os segundos que demoram para você cumprimentar alguém, antes de começar a falar. Obviamente que nada disso adianta se o que você tem a dizer não é interessante ou relevante. Mas, para todos os profissionais, são dicas fáceis que ajudarão você a melhorar seu networking e, é claro, a sua imagem profissional.

Fonte: Amanhã

Nenhum comentário:

Postar um comentário